Cinco acidentes mais comuns com pets em Curitiba

abril 16, 2015  /   Curitiba, Notícias

cachorro parqueAcidentes acontecem! Essa velha máxima também se aplica aos pets, pois basta um segundo de distração para que o seu cachorrinho acabe internado. Mas já pensou em quais são as emergências com bichinhos de estimação mais comuns em Curitiba?

A médica veterinária do Hospital Veterinário HV Pró Vita, Rhéa Cassuli Lima dos Santos, enumerou quais são os cinco acidentes mais comuns que ela e a sua equipe atendem com mais frequência.

05 – Gato que cai da janela
Sabe aquela velha história de que gatos possuem sete vidas (ou nove, se for um gato dos Estados Unidos)? Pois então, a vida do gatinho é apenas uma e vale ouro. “É muito comum gatos que caiam das janelas de prédios. Mesmo  um andar mais baixo pode sim trazer consequências terríveis para os felinos” explica Doutora Rhéa.

Os gatinhos chegam ao HV Pró Vita com os mais variados problemas – desde uma patinha quebrada até fratura no crânio (que na maioria das vezes é fatal), passando por fraturas no palato do céu da boca.

“Muitas vezes, esses acidentes ocorrem quando os donos deixam as janelas abertas ou mal fechadas. Basta uma frestinha para que um gatinho sofra uma queda, por isso é preciso usar redes de proteção”.

Quando acontece a queda, o ideal é chamar um médico veterinário para orientações de como levar  o gatinho até o hospital veterinário, para evitar maiores problemas. “Mesmo que  o gato esteja ‘bem’ na visão que o dono, é preciso levar para exames internos” explica a médica veterinária.

04 – Briga de cães
E não com outro cachorro de rua não, é dentro de casa ou no condomínio. “Por questões territoriais, macho com macho, fêmea com fêmea, ou dois machos disputando uma fêmea… É bem normal atendermos ocorrências envolvendo brigas de cachorros” esclarece Doutora Rhéa.

É preciso, nestes casos, tentar ajustar a rotina da casa com a vida dos cachorros, como castrar desde cedo e tentar fazer uma convivência melhor entre os “cachorrinhos” dentro de casa.

03 – Cachorro que morde ouriço
Isso é bem comum em Curitiba – ainda mais perto de áreas verdes. Os cachorros, pela sua natureza curiosa, se aproximam e acabam mordendo ouriços que caminham pelos parques da cidade. E quem se dá mal mesmo é o cachorro…

“Curitiba tem muitos parques e os ouriço moram lá. O gato nem é tão curioso, mas os cães são bem loucos pelos ouriços. É normal os donos deixarem os cachorrinhos sem coleira em alguns parques e isso não pode, por mais que o cachorrinho seja tranquilo” explica Doutora Rhéa.

Os espinhos do ouriço ficam na boca e na entrada da garganta – e até na patinha, quando os cachorros tentam tatear o ouriço. Os espinhos precisam ser retirados pois podem inflamar, mas não dá para tirar em casa.

“Dói muito, não sai e, se quebrar um espinho, ele só poderá ser retirado com cirurgia. A reação natural dos donos é tentar tirar os espinhos e isso não pode. Mesmo um espinho bem pequenininho pode causar um estrago grande, dependendo da profundidade e do local onde o espinho está alojado. O melhor é correr para um hospital quando isso acontecer” esclarece Doutora Rhéa.

02 – Envenenamento
Na vontade de deixar a casa mais limpa e livre de pestes, o uso de raticida é algo bem usual em Curitiba – e o envenenamento canino também passa a ser comum. É preciso tomar cuidado com o armazenamento de raticidas e inseticidas nas residências, que se estiver em local inadequado favorece a ingestão dos pets.

“É bom ficar atento com o comportamento do cachorro. Tremores na musculatura, ele pode salivar mais do que o necessário, agir de maneira estranha, apresentar hemorragia, vômitos com grãos de veneno, diarreia, perturbação na respiração ou batimentos cardíacos mais fracos, perda dos sentidos ou estado de choque” enumera Doutora Rhéa.

Algumas pessoas, por má fé, acabam envenenando cachorros de propósito jogando veneno de rato nos quintais. É preciso ficar atento com a limpeza do local, deixar o quintal o mais protegido possível e vigiar o que o cachorrinho está pondo na boca.

Em casos de envenenamento, é preciso levar urgentemente o cachorrinho até o hospital veterinário e evitar induzir ao vômito. No hospital veterinário é feito uma lavagem estomacal para diminuir o perigo de absorção do veneno.

01 – Atropelamento
O campeão de ocorrências em Curitiba. Doutora Rhéa explica que os incidentes ocorrem quando dos passeios diários, por distração dos donos.

“É preciso trancar bem as portas de casa e as janelas. Muitas vezes, a pessoa sai e deixa o portão aberto sem querer. É preciso tomar muito cuidado mesmo ao sair de casa, pois os cachorrinhos e os gatinhos acabam fugindo, são atropelados e pode ser fatal”.

Na rua, durante os passeios, o cachorrinho pode também se assustar com um barulho, vai para o lado errado da calçada e ser atropelado por um carro que está saindo da garagem ou mesmo uma bicicleta.

“Acontece também quando o cachorrinho insiste em ir encontrar outro cachorro do lado oposto da rua.  Os donos precisam estar atentos e evitar coleiras muito gastas.  É preciso ser os olhos e ouvidos dos pets nas ruas” afirma Doutora Rhéa.

Crianças pequenas não devem levar sozinhas cachorros com as guias, uma vez que ela não seria capaz de segurar um cachorro caso ele resolva “disparar” pelas ruas.

Quando acontece um atropelamento, o ideal é levar o cachorrinho até o hospital veterinário e, em casos mais graves, chamar por telefone para receber toda a orientação do que fazer para levar – ou esperar a chegada de um meio de transporte adequado no local.

“Podemos ter desde uma fratura simples até um trauma encefálico grave ou uma ruptura de diafragma” alerta Doutora Rhéa.

Email this to someoneShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Print this pageShare on Tumblr

2 comentários

  1. Bianca 9 de junho de 2015 15:23

    Gostei, não sabia que a queda de gatos de apartamentos era algo tão comum, eu sou meio chiliquenta então telei tudo, e mesmo assim ainda não confio 100% na segurança das redes, mas tem alguns amigos que tem gatos em apartamento e nunca pensaram em instalar telas, dizendo que o gatinho não pula, pois está acostumado… Afff, dá dó é dos bichanos que não tem noção do perigo, eu jamais, mesmo com tela em tudo, teria coragem de sair e deixar qualquer janela aberta,, acho que tudo que pode ser evitado não é um mero acidente… Parabens pelo site, gostei bastante, pena que a clínica fica muito longe da onde eu moro…

    • hvprovita 9 de junho de 2015 15:41

      Olá Bianca, obrigado pelo comentário e os elogios! Ficamos muito contentes em receber sua mensagem e saber que conseguimos cumprir com o nosso objetivo que era informar para conscientizar e proteger a saúde e bem estar dos animais que tanto amamos!
      Com relação as telas, é algo que procuramos instigar nos nossos clientes e que recomendamos sempre! Acreditamos fortemente que a prevenção é sempre a melhor opção e quanto mais informação as pessoas tiverem menores as chances de acidentes e outros problemas que poderiam ser evitados acontecerem, mesmo em casas e apartamentos em andares baixos, elas evitam fugas!
      Você sabia que alguns criadores e até mesmo em feiras de adoção, as pessoas tem exigido que as pessoas que adotam gatinhos instalem telas em todas as janelas? Como uma condição essencial para entregar o gatinho. Tudo para proteger e preservar essas vidas tão preciosas!

  • Atendimento

    O Hospital Veterinário Pró Vita de Curitiba entende que atender bem não tem hora, por isso atende 24 horas e coloca a disposição do seu amigão ou amiguinho um completa estrutura com farmácia, exames e profissionais qualificados. Ah, se o seu amigo é felino no Hospital Veterinário Pró Vita tem espaços dedicados só para os gatinhos. Venha, estamos esperando você e seu amigão.

  • Credenciado DottorDog

  • Horários de Funcionamento

    Abertos todos os dias, inclusive Domingos e Feriados.