Endocrinologia e Metabologia

Doenças especiais precisam de tratamento especial – Meu pet pode ser um Endocrinopata? O que isso significa e quais doenças podem afetá-lo?

Os pets também precisam de cuidados médicos com profissionais especializados, ainda mais quando se trata de doenças do sistema endócrino como, por exemplo, o diabetes. Essas doenças não são sempre facilmente percebidas podendo ser confundidas com outros problemas devido as suas manifestações inespecíficas, mas são muito perigosas para a saúde de cães e gatos e exigem treinamento e preparo específico dos profissionais médicos veterinários para serem reconhecidas, diagnosticadas e tratadas com segurança e bons resultados.

A médica veterinária do Hospital Veterinário Pró Vita, Rhéa Cassuli Lima dos Santos, especialista em Endocrinologia e Metabologia, explica um pouco sobre cada uma das principais enfermidades que podem surgir em seu pet. Rhéa Cassuli Lima dos Santos é médica veterinária graduada pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), especialista com residência em Clínica Médica de Pequenos Animais também pela UTP, e especialista em Endocrinologia e Metabologia de Cães e Gatos pela Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais de São Paulo.

Hiperadrenocorticismo (HAC)

Também conhecida como Síndrome de Cushing, a síndrome acontece em decorrência da produção (HAC espontâneo) ou administração (HAC iatrogênico) excessiva de glicocorticóides. “O HAC ACTH-dependente é a causa mais comum de HAC espontâneo. A produção excessiva de ACTH, devida à presença de microtumores hipofisários resulta na hiperplasia adrenocortical bilateral e excesso na secreção de cortisol. O HAC iatrogênico resulta da administração crônica de glicocorticóides via oral ou tópica (por exemplo, colírios, pomadas ou xampus). Independentemente da origem da doença, os sinais clínicos mais comuns nos cães são poliúria (urinar excessivamente), polidipsia (aumento exagerado da ingestão de líquidos), polifagia (aumento exagerado da ingestão de alimentos), abdômen distendido e alopecia bilateral simétrica (perda característica de pelos). As consequências mais sérias da síndrome incluem o diabetes mellitus, hipertensão arterial sistêmica, insuficiência hepática e renal, podendo levar à morte a longo prazo se não tratada adequadamente.

Hipoadrenocorticismo

Também conhecida como Síndrome de Addison, a doença é pouco frequente em cães e ainda mais incomum em gatos. Por isso mesmo os sinais clínicos são muito variáveis e dependem da severidade e da evolução da doença.

“Alguns cães apresentam sinais crônicos e intermitentes (por exemplo, a diarréia) enquanto que outros apresentam quadros agudos e chegam ao hospital veterinário em choque (hipotensos, bradicárdicos e hipoglicêmicos). As alterações clínicas não são específicas e sim comuns a uma variedade de outras doenças. No entanto, deve-se suspeitar de hipoadrenocorticismo crônico quando uma doença tem seus sintomas exacerbados pelo estresse e respondem a tratamentos inespecíficos e à terapia de suporte” explica a especialista.

Diabetes mellitus

A diabetes mellitus é a doença causada pela deficiência parcial ou total de insulina e que leva a hiperglicemia e glicosúria. Este é um distúrbio muito comum, tanto em animais jovens como idosos, e com várias consequências graves para o seu portador se não for manejado corretamente, pode ser fatal. Costuma acometer cães e gatos de meia idade a idosos.

“Este distúrbio endocrinológico pode ser causado por diferentes fatores. Podemos citar hereditariedade, infecções virais, pancreatite e obesidade como alguns destes fatores. Bom salientar que o paciente diabético precisa ser acompanhado periodicamente pelo médico veterinário especializado em endocrinologia, pois o sua condição pode variar rapidamente e o predispõe a várias complicações, sendo a principal e mais séria delas a cetoacidose diabética.” explica Dra. Rhéa.

Hiperlipidemia

Este quadro se caracteriza pelas altas concentrações plasmáticas de triglicerídeos (hipertrigliceridemia), colesterol (hipercolesterolemia) ou ambos. Os cães e gatos raramente sofrem de aterosclerose, a principal consequência em humanos, porém outros distúrbios graves podem vir por consequência da hiperlipidemia, como êmese (vômitos), diarréia e desconforto abdominal. Casos mais graves (níveis excedendo 1000 mg/dl) têm sido associados à prancreatite e convulsões. Além das manifestações clínicas, esta alteração metabólica pode interferir nos resultados de diversos testes bioquímicos realizados rotineiramente na clínica, gerando resultados falsos que atrapalham o diagnóstico e tratamento de outros problemas se não for considerada como um fator no processo diagnóstico.

Hipertireoidismo

O hipertireoidismo é um distúrbio metabólico freqüente em gatos de meia idade a idosos e rara em cães. Geralmente a produção excessiva de hormônios tireoidianos é decorrente de tumores benignos que podem ser uni ou bilaterais.

“Podemos observar sinais como perda de peso e hiperatividade. Outros sinais, menos frequentes, também podem ser observados, tais como mudanças na pelagem e diarréia. Alguns felinos apresentam comportamento agressivo, que se resolve após o tratamento” enumera Dra Rhéa sobre a doença.

Hipotireoidismo

O Hipotireoidismo é uma desordem sistêmica que resulta de concentrações inadequadas de hormônios da tireóide. Os sinais típicos desta doença incluem obesidade, letargia e algumas alterações dermatológicas. Comuimente o hipotireoidismo é secundário a outras doenças, como infecções, doenças degenerativas e doenças metabólicas como o hiperadrenocorticismo.

Hipoglicemia

Ocorre quando a concentração de glicose sanguínea em cães e gatos encontra-se inferior a 60 mg/dl, e pode ser causado por uso excessivo da glicose por células normais ou neoplásicas, nutrição inadequada, aplicação excessiva de insulina dentre outros fatores.

Os sinais clínicos da hipoglicemia geralmente se manifestam quando a glicemia é inferior a 45 mg/dl e incluem convulsões, fraqueza, ataxia e menos comumente letargia, cegueira, alterações no comportamento e coma. A hipoglicemia é extremamente grave e se não tratada pode levar à morte rapidamente.

Obesidade

A obesidade é definida como sendo o acúmulo excessivo de gordura, decorrente de alteração no balanço energético, no qual a ingestão é maior que o consumo calórico. A obesidade acomete hoje entre 25 e 40% da população mundial de cães e gatos e isto se deve principalmente ao sedentarismo na vida dos animais de companhia. Além disso, o desenvolvimento de alimentos altamente calóricos e palatáveis para cães e gatos contribuem para o desequilíbrio do balanço energético que leva à obesidade.

Quais são os procedimentos utilizados para o diagnóstico e tratamento das doenças endocrinológicas que podem ser realizados no Hospital Veterinário Pró Vita?

  1. Curva glicêmica;
  2. Supressão com Dexametasona;
  3. Estimulação com ACTH;
  4. Internamento especializado para controle de Cetoacidose Diabética;

Comentários fechados.

  • Atendimento

    O Hospital Veterinário Pró Vita de Curitiba entende que atender bem não tem hora, por isso atende 24 horas e coloca a disposição do seu amigão ou amiguinho um completa estrutura com farmácia, exames e profissionais qualificados. Ah, se o seu amigo é felino no Hospital Veterinário Pró Vita tem espaços dedicados só para os gatinhos. Venha, estamos esperando você e seu amigão.

  • Credenciado DottorDog

  • Horários de Funcionamento

    Abertos todos os dias, inclusive Domingos e Feriados.